A maior parte das pessoas, já atuou em algum Trabalho Informal! Seja um trabalho de férias, um extra pós expediente, e até mesmo trabalho como motorista em aplicativos! Se você possui experiências informais, mas que te agregam de alguma forma, elas podem ser decisivas na sua contratação!

Nas últimas semanas, foram divulgados dados que apontam uma queda nos índices de produtividade no Brasil, de acordo com Índice de Economia Subterrânea (IES), calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV) em parceria com o Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO).

Atualmente o Brasil possui 38,8 milhões de trabalhadores na informalidade, um número recorde, e que equivale a 41,4% da força de trabalho. Isso porque as vagas de emprego geradas entre 2018 e 2019, são quase todas informais, pagam menos e são menos produtivas. São os famosos “bicos” ou “freelas”, como empregadas domésticas, vendedores a domicílio, entregadores de aplicativos, vendedores ambulantes, e freelancers de todas as áreas.

Cálculos da FGV mostram que a produtividade por hora trabalhada na economia ficou estagnada em 2018, quebrando uma recuperação iniciada em 2017, e começou a cair em 2019. No primeiro trimestre, a queda foi de 1,1% e, no segundo, de 1,7%.

De fato trabalhos fixos estão cada vez mais escassos, com isso os profissionais e os contratantes estão se reinventando. No entanto, isso não muda a preferência por trabalhos fixos como registrado em CLT ou PJ, por isso na busca por uma nova oportunidade de emprego, os candidatos podem e devem incluir suas experiências informais no currículo. Afinal, todas as experiências agregam conhecimento, e fazem diferença na hora da contratação!

Como acrescentar essas experiências no currículo?

Primeiramente, é válido ressaltar, que você deve filtrar quais experiências colocar. Selecione o que é relevante, e adicione apenas se os conhecimento adquiridos naquele trabalho forem importantes para a vaga a qual você está pleiteando!

A única (e importante) diferença é o acréscimo das referências profissionais. A melhor forma de mostrar que alguém pode comprovar a sua competência é deixar o contato do ex-empregador no currículo. Isso dará mais credibilidade e mais confiança para o recrutador!

Contudo, não se esqueça de alertá-lo de que está buscando uma nova oportunidade e que é possível que alguém entre em contato com ele. Afinal, é antiético fornecer dados pessoais, ainda que apenas o e-mail ou telefone comercial, sem a autorização de seu titular.

Durante a entrevista de emprego, caso seja questionado, explique que acrescentou a referência por não ter carteira assinada. É importante deixar claro que isso não representa, de forma alguma um problema. Acrescente que você sempre atuou com profissionalismo, competência e integridade em seu antigo trabalho – que podem ser comprovadas ao entrar em contato com a referência apresentada.

Cuidados como este, fazem a diferença em um mercado que é competitivo e apresenta vagas escassas. Lembre que atualmente não são só as suas experiências que te qualificam, suas soft skills são decisivas para a contratação!

Se você deseja se manter atualizado sobre o mercado de trabalho, e acompanhar nossas dicas, nos siga nas redes sociais. Queremos Gente Mais desenvolvida!

Acompanhe a Gente!

  Youtube

 Facebook

 Linkedin

 Instagram

Para mais informações entre em contato com a Gente Mais:
Fone: (14) 3227-9558 | (14) 3214-3335
Email: [email protected]
Endereço: Rua Engenheiro Saint Martin, 23-40
17012-056 – Bauru / SP