O papel do RH na Pandemia do Coronavírus

Também conhecido por Covid-19, o novo Coronavírus foi classificado como “pandemia” pela OMS (Organização Mundial da Saúde). A doença possui alto potencial de contaminação, o que se tornou motivo de preocupação global, resultando em diversas ações governamentais e empresariais.

Contudo, é comum notícias sobre o fechamento de fronteiras, cancelamento de vôos, proibição do funcionamento do comércio etc. Nas empresas as mudanças também acontecem, diversas organizações suspenderam eventos, mudaram a equipe de operação para regime home office, e até mesmo reduziram suas equipes. Essas são algumas das estratégias utilizadas para evitar a contaminação.

Portanto, em meio a esse cenário, qual deve ser o posicionamento do RH dentro das organizações? Nós separamos alguns tópicos para te guiar nesse período de crise. Confira dicas das ações que a gestão de Recursos Humanos pode tomar.

Dica #1

É importante que os colaboradores sintam que a empresa está passando por isso junto com eles. Por isso o compartilhamento de informações, como o disparo de e-mails que atualizem os colaboradores sobre o status atual da pandemia, é uma ótima alternativa. Desse modo, além de evitar a desinformação, a prática pode ajudar na tomada de decisões mais assertivas e no controle do pânico e da ansiedade.

Dica #2

O RH também possui um papel muito importante na orientação e estímulo a práticas de higiene. A sugestão é que informativos com dicas de prevenção sejam espalhados pela empresa. Além disso, o diálogo com a equipe de trabalho é essencial não só para a conscientização, como também para evitar preconceitos, piadas ou situações de desconforto (por exemplo, contra colaboradores que retornam de viagens).

Dica #3

A adoção do home office pode ser uma das mais importantes alternativas a ser discutida entre RH e liderança da empresa. No entanto, o home office requer planejamento prévio e políticas claras e engajadoras. Contudo, agora na crise do Covid-19, é possível acelerar esta modalidade”.

Em caso da adoção do home office, separamos algumas recomendações que podem facilitar a implementação da prática, especialmente para organizações que não a tem como um hábito. São elas:

  • Reunião de acompanhamento ao menos uma ou duas vezes por semana. Pode acontecer via aplicativos de reunião virtual, conference call, etc;
  • Ferramentas na nuvem também são importantes para armazenar o desenvolvimento dos projetos, assim ninguém fica fora do processo de gestão. Dados e integração são fundamentais para quem está “fora” do seu habitual dia a dia de trabalho.
  • Deixe claro os horários em que o funcionário deve ser encontrado por estar a trabalho. Estar home office no período de x a x é compromisso com a jornada;
  • O inverso também é fato: acabou o horário, respeite o horário de descanso do funcionário;
  • O rodízio entre equipes deve ficar a critério de cada empresa (se equipes multifuncionais ok trabalho alternado, se time de especialistas, melhor interagir com pares).

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *