As Tendências de um Mundo Pós Pandemia

A tragédia global que é a pandemia de covid-19 mudou mais do que apenas regras sanitárias e de saúde e vai deixar sequelas no mundo corporativo também

Tempo estimado de leitura: entre 6 min 30 s e 8 min

Texto por Diego Taketsugu*

Não é segredo que aqui na Gente Mais, nossa maior prioridade é ajudar a você e ao seu empreendimento. No momento em que estamos, já no segundo ano da pior pandemia desde a Gripe Espanhola em 1918, o que as pessoas mais precisam é de ajuda e, por isso, resolvemos condensar neste texto, algumas das tendências observadas pela revista britânica The Economist para um mundo pós covid-19.

Primeiramente, é importante termos uma coisa bem clara: o mundo não vai voltar a ser exatamente como era antes da pandemia, portanto desapegue da ideia de “voltar ao normal” e abrace de vez a ideia de “novo normal”. 

Mas o que é o novo normal? Já estamos vivendo ele? Na realidade, ainda não. Atualmente, ainda estamos em um estado delicado, de transição e muita dificuldade, uma vez que a pandemia ainda não foi solucionada, medidas de quarentena, restrição de viagens e de deslocamento e lockdowns ainda são necessários. O novo normal é algo que vai entrar integralmente em vigor quando pudermos olhar a pandemia como uma página virada, tirar os olhos da ocupação de leitos, de hospitais de campanha, média móvel de casos e óbitos e voltarmos nossa atenção ao nosso cotidiano.

O mundo pós caos

Podemos separar as faces do “novo normal” em alguns tópicos semelhantes:

  • Transformação Digital: Em 2020, o mundo viu um avanço (até mesmo um pouco desordenado em alguns casos) do uso das novas tecnologias. É claro, elas já estavam disponíveis desde as décadas anteriores, mas, por conta da pandemia, inovações como home office, Ensino a Distância (EAD), Telemedicina, entre outras, foram essenciais para que o mundo continuasse funcionando, mesmo com a ameaça do novo coronavírus. Mas aí que vêm as sequelas da pandemia, especialistas afirmam que essas mudanças vieram para ficar, o trabalho deve ser cada vez mais digital e menos presencial, fazendo com que as empresas que se engessarem em modelos de de negócios mais tradicionais podem sentir dificuldades em relação a empresas mais modernizadas. Por isso, é importante que a sua organização, independentemente de seu tamanho, se modernize e esteja pronta para ingressar nesta nova era. Porém, isso deve vir acompanhado de algumas cautelas, por exemplo, se o trabalho dos colaboradores será majoritariamente virtual, então é papel da empresa garantir a proteção dos dados do funcionário. Outra preocupação é “se eu não há diferenciação física entre meu espaço de trabalho e meu lar, eu estarei trabalhando 24 horas por dia?” e a resposta é não! O funcionário não pode virar um servo da empresa e deverá ser exigido apenas no seu horário de trabalho. Outra questão relevante de se pensar é que se o trabalho será predominantemente remoto, a empresa pode contratar qualquer pessoa de qualquer lugar, não somente aqueles que moram na cidade ou nos arredores de onde sua sede está instalada e isso abre a oportunidade de se captar talentos que seriam inviáveis em um modelo presencial.
  • A saúde é uma nova preocupação global: E aqui, falamos de saúde como um termo abrangente, como saúde do meio ambiente e saúde das pessoas (tanto física quanto mental). Pode parecer que não tem muita relevância para sua empresa, mas se preocupar com o meio ambiente é cada vez mais fundamental. Investidores e consumidores muitas vezes decidem onde colocam seu dinheiro baseados neste tópico e, se a sua empresa demonstra pouca ou nenhuma preocupação com a preservação ambiental, ela pode deixar escapar ótimas oportunidades de fechar negócios. Ações simples como adotar a coleta seletiva, apoiar e patrocinar (na medida do possível) iniciativas ecológicas locais, ou mesmo dar o pontapé em uma iniciativa própria podem dar o sinal para a sociedade de que sua empresa é amiga do meio ambiente e merece investimentos por isso, independente do ramo de atuação dela. Agora, quando falamos em saúde das pessoas, o papel da empresa é ter um foco contínuo em segurança do trabalho e no geral bem-estar de seus colaboradores. Ter um RH ativo, que se preocupa com as demandas e queixas dos funcionários é uma ótima forma de colocar isso em prática.
  • Poupar finanças é uma nova tendência: Se a década de 1980 (carinhosamente apelidada de “anos perdidos” no Brasil) e sua crise econômica ajudaram a criar uma geração muito preocupada com finanças em economizar no Brasil, a pandemia deve causar um efeito semelhante em todo o mundo, especialmente no meio corporativo. Muitas empresas estão fechando por causa do desaquecimento da economia, as que sobrevivem estão com as finanças seriamente abatidas e, por isso, devem ter uma preocupação enorme em cortar gastos no futuro próximo. Isso não significa que elas devem segurar os investimentos na área de Transformação Digital, pelo contrário! Mas luxos como grandes escritórios em áreas nobres da cidade, excessivas viagens a trabalho e grandes eventos presenciais devem ficar cada vez mais raros, sendo substituídos por home office, reuniões virtuais e eventos um pouco mais comedidos, para que as organizações possam “arrumar a casa” financeiramente e arcar com os custos de se implementar todas as mudanças tecnológicas necessárias.
  • Preocupações sociais: Ver bilhões de pessoas sofrendo, direta ou indiretamente, os impactos de uma pandemia muda a maneira como enxergamos o mundo. Isso pode e deve ser refletido no modelo de negócio das empresas de hoje e do futuro. Internamente, adotar uma abordagem mais humanizada com seus colaboradores, que não devem mais ser vistos apenas como instrumentos de trabalho, mas sim como pessoas, com necessidades, crenças, valores, aflições e alegrias únicas, pode fazer com que sua empresa se torne um ambiente de trabalho maravilhoso e tenha uma produtividade estratosférica. Externamente, se preocupar com causas sociais, como a fome, a pobreza e a desigualdade, de maneira semelhante ao exposto na questão ambiental, pode atrair investimentos e ajudar a sua empresa a ser bem quista no mercado.

Pode parecer muita coisa para mudar, mas não se engane. Sua empresa não precisa acordar amanhã com tudo isso mudado, mas ir aplicando essas tendências e fazendo uma transição suave já é o suficiente para melhorar seus resultados e obter maior sucesso no mundo corporativo! Bora fazer parte deste “novo normal”?

*Estagiário Gente Mais sob supervisão da jornalista Thayná Fogaça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *